sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A TIMBILA

Timbila: Património Oral e Imaterial da Humanidade

Origem da timbila

As primeiras referências à Timbila surgem em escritos portugueses do século XVI.
A timbila (instrumento), quanto à sua existência na costa sudeste de África, considera-se que tenha provavalmente surgido em resultado dos contactos, no século X, com a actual Indonésia (onde existe também este instrumento); A timbila é originária do povo chope (em Zavala, Inharime, Panda, Vilanculos e Homoine), província de Inhambane, sul de Moçambique.

Descrição:

A timbila é um instrumento tradicional moçambicano da família dos xilofones. A timbila (plural de mbila = lâmina de madeira) apresenta a sua particularidade nas massalas (nas cabaças de vários tamanhos que funcionam como caixas de ressonância e que se encontram por baixo de cada lâmina de madeira); Cada lâmina apresenta um pequeno orifício pelo qual o som é transmitido até à caixa de ressonância.

A timbila
É, a timbila, uma arte transmitida de pais para filhos; Demora perto de três meses e meio.

Execução:
A tímbila é tocada com duas baquetas que na ponta têm um anel de borracha; A constituição da orquestra de timbila, são necessários vários tipos de mbilas que se diferenciam pelo número, tamanho (em comprimento e largura) e pelo tamanho das suas cabaças.

Antigamente:

Em encontros designados de “msaho”, nestes os chefes tribais e tradionais (em Zavala) reuniam as populações para confratenizarem, cantando e dançando.

Nesses encontros, realizavam-se actuações musicais e dançantes com timbilas (escolhia-se e premiava-se melhores artistas) e discutiam-se detalhes relacionados com as construções das timbilas.

Actualmente:

Na Primavera, realizam-se festivais de timbilas que reunem as melhores orquestras para a apresentação e avaliação de novas composições musicais.

Cada uma das orquestras pode reunir até vinte músicos e apenas compor uma peça por ano (sempre a partir da anterior) para que se mantenham as particularidades musicais de cada orquestra.

A timbila é obra prima do património oral intangível da humanidade constituindo o reconhecimento de uma manifestação cultural autóctone que não é mais pertença somente das comunidades Chope ou dos moçambicanos como povo, mas sim da humanidade. (ex-vice Ministro da Educação e Cultura: Antónia Xavier ).

Em 2004, a timbila foi considerada património mundial pela UNESCO e Novembro de 2005: - É reconhecido o estatuto universal.

2 comentários:

Erica disse...

Amei esta informacao...gostava que deixassem mais informacao do genero, nao so de eventos culturais mas tambem de bairros historicos culturais, como mafalala, chamanculo, etc.

Silvo disse...

Erica, muito agredecido pelo seu comentário. E mais, havia escrito o texto com informacões colhidas também deste meio e não tinha feito uma revisão do texto. Despertaste-me a atencão e vou melhorar o texto e tentar abordar o k sugeres. Abracão